Guarda Municipal é preso por estupro de menina de 13 anos pela Polícia Civil

Após menina de 13 anos denunciar o estupro que sofria pelo pai no ano de 2019 e tendo a prisão do genitor decretada, o Inquérito Policial que teve deslinde na Delegacia da Mulher de Capivari/SP, onde uma família composta por um pastor, que exercia funções de Guarda Municipal, solicitou a guarda provisória da menor, sendo concedida pela Autoridade Judicial, tendo a menina residido desde o final de 2019 até Julho deste ano de 2020.
Ocorre que, em agosto deste ano, a mãe da menina de 13 anos, após a retomada da menor para casa, notou fatos estranhos que estariam acontecendo com a criança e o guarda municipal, tendo surpreendido a criança dormindo em seu quarto em companhia do acusado enrolados em um lençol, ocasião em que, registrou a presente ocorrência.
Em solo policial, a mãe da vítima noticiou que o pastor estava comportando-se de modo incomum, tendo presenteado a filha com dois celulares, já que a criança já não estava mais residindo em sua companhia.
Como se não bastasse, o primeiro celular havia sido danificado pela esposa do acusado, a qual ofendeu a integridade física da criança, pois, tinha conhecimento da prática criminosa.
Ainda nesse diapasão, soube através dos autos que a mulher do acusado ofendia constantemente a integridade física da vítima, a submetendo a condições de tortura física e psicológica, tendo em vista que, a menor teve fases em que não podia sair do quarto e era obrigada a ler a bíblia como forma de punição pelos seus atos.
Após, ser registrada a comunicação do crime nesta Unidade Especializada em Defesa da Mulher, o acusado evadiu-se do município tomando rumo incerto e ignorado, logo após o pedido de Prisão Preventiva formulada pela drª Autoridade Policial Maria Luisa Dalla Bernardina Rigollin. Depois de quase dois meses foragido, através de trabalho de inteligência policial da Polícia Civil de Capivari, UIP – Deinter-9 e Polícia Civil de Ponta Grossa, Estado do Paraná , o acusado foi preso no município de Ponta Grossa e foi encaminhado para Capivari afim de realizar o interrogatório do acusado.