OUÇA AO VIVO
TELEFONES

Vereadores vão ao Ministério Público contra taxa de lixo

Denilton Rocha (MDB), Edson José Bombonatti (PSL), Mateus Scarso (MDB) e Nelson Soares (PR) protocolaram requerimento objetivando apurar irregularidade no aumento da taxa de lixo
Denilton Rocha (MDB), Edson José Bombonatti (PSL), Mateus Scarso (MDB) e Nelson Soares (PR) protocolaram requerimento objetivando apurar irregularidade no aumento da taxa de lixo

Os vereadores Denilton Rocha (MDB), Edson José Bombonatti “Tambuzinho” (PSL), Mateus Scarso (MDB) e Nelson Soares (PR) protocolaram requerimento no Ministério Público Estadual, na tarde de quinta-feira, dia 24, no fórum da comarca, em Capivari.
O objetivo do documento é a solicitação para abertura de Inquérito Civil para apurar possível irregularidade no aumento da taxa de lixo no município.
Os parlamentares alegam que em 2019, a taxa de lixo teve aumento de mais 40%, sem justificativa que o sustente. O vereador Mateus Scarso (MDB) afirma que solicitou informações ao Poder Executivo, por meio de requerimento para informar a justificativa do elevado aumento e que considera insatisfatória a resposta. O vereador ainda ressalta que os documentos solicitados por meio do requerimento não foram enviados à Câmara Municipal sob alegação de se tratar de muitos documentos.
Os vereadores ainda esperam que através do Inquérito seja esclarecido “o motivo pelo qual foi mudado o destino do lixo da cidade de Rio das Pedras para Paulínia, pois isso gerou mais despesas para a população”, informa o texto do requerimento enviado ao MP. A distância entre Capivari e Paulínia é quase 3 vezes maior em relação à distância de Capivari a Rio das Pedras. “Como o serviço prestado pela empresa que efetua o recolhimento e transporte do lixo municipal é cobrado por quilômetro/tonelada, é claro que o serviço ficará mais caro levando-se o lixo para o aterro de Paulínia”, concordam os vereadores.
A busca de solução através do MP para a falta de respostas aos questionamentos dos vereadores, veio após constantes tentativas de esclarecimentos, que segundo os parlamentares, não foram apresentadas.